AtraçõesDicas

Cinema ao ar livre movido à bicicletas! 🚲

ATUALIZAÇÃO: O EVENTO É ABERTO AO PÚBLICO, OS INGRESSOS SÃO PARA AS CADEIRAS E SÃO DISPONIBILIZADOS ONLINE E NO LOCAL. CASO ESTEJAM ESGOTADOS, VOCÊ PODE IR E LEVAR A SUA CANGA PARA SE SENTAR E PARTICIPAR DO EVENTO.
Ingressos e programação do BikeCine: https://bikecine.com.br/#programacao

Lançamento BikeCine 🚲

Data 21/03/2024 (quinta-feira)
Local: Vale do Anhangabaú, baixio do Viaduto do Chá – Centro Histórico de São Paulo
Horário: a partir das 19h
Capacidade: 150 lugares em cadeiras, 10 bikes fixas e 6 estações disponíveis para o público acoplar a própria bicicleta.
Ingressos: entrada gratuita (50% dos ingressos ficam disponíveis para reserva on-line e 50% são distribuídos presencialmente, a partir de 1 hora antes).

Reservas pelo site https://bikecine.com.br/

Programação:

19h – Pocket show com ‘Thunder & Turnbull’
19h30 – Exibição dos documentários: Elo Perdido – O Brasil que Pedala. (de Renata Falzoni) + Pedal Sul (de Sérgio Gag)
20h30 РMesa de debate: Renata Falzoni, Toni Nogueira e Nabil Bonduki (media̤̣o)
21h – Final do evento

Sobre o BikeCine

O BikeCine é um cinema itinerante que funciona apenas com energia limpa e sustentável, gerada pelo próprio público, pedalando. O lançamento do BikeCine acontece em São Paulo, dia 21 de março, no Vale do Anhangabaú, com evento especial aberto ao público e gratuito. Na sequência, seguirá para outras cidades do estado.

No BikeCine, o público pode escolher de onde assistir aos filmes: acomodados na plateia de cadeiras ou nas estações de bicicletas, participando ativamente. 

São 10 bicicletas fixas e seis bases para acoplar as “bikes” trazidas pelo próprio público, totalizando 16 estações que captam a energia gerada pelos ciclistas. Também é possível colaborar pelo “pedal de mão”, ideal para diversão das crianças, idosos e pessoas com mobilidade reduzida, promovendo maior acessibilidade. O BikeCine é para todos.

Toda energia gerada é consumida no momento e, quanto mais rápidas forem as pedaladas, maior é a energia produzida. Um sinalizador exibe a carga de energia em tempo real e avisa se for preciso pedalar mais. Se baixar, os ciclistas são estimulados ou convidados ao revezamento durante as sessões.

Tecnologia também nas imagens. A exibição dos filmes no BikeCine é feita na tela inflável da Airscreen, equipamento com tecnologia de ponta, que oferece projeção de alta qualidade ao ar livre. Tudo para garantir a melhor experiência ao público.

Lançamento em São Paulo. A programação do evento de lançamento (dia 21, às 19h) é diferenciada e a chegada de comboio de coletivos de bikers ao local marcará o início. A abertura será com o pocket show de ‘Thunder & Turnbull’, dupla formada por Luiz Thunderbird e Lucinha Turnbull. A seleção de filmes também será diferente da programação regular do projeto, com exibição de mini documentários sobre mobilidade e ciclismo. A noite finaliza em debate, com convidados do BikeCine: a cicloativista Renata Falzoni, o urbanista Nabil Bonduki e Toni Nogueira, diretor da DGT filmes e amante de esportes de aventura. 

Os ingressos gratuitos ficam disponíveis on-line para o público, pelo site https://bikecine.com.br, e há também cota de distribuição presencial, 1 hora antes do evento.

“É uma grande alegria estrear este projeto que reúne tantas pautas que consideramos importantes para a população e para o planeta. Cultura, entretenimento, bem-estar, mobilidade, sustentabilidade, conscientização e inclusão estão entre os temas que queremos destacar e discutir com o BikeCine”, conta Marco Costa, idealizador do BikeCine. 

Depois da estreia na capital, o projeto circulará por mais de 30 cidades, com programação variada de filmes para a família e sempre com entrada gratuita. 

A energia limpa do BikeCine

Ao invés do cinema consumir energia para funcionar, são as pessoas que geram energia com seu corpo. Toda a eletricidade necessária para cada sessão do BikeCine acontecer, seja inflar e sustentar a tela, projetar o filme, o sistema de som e demais equipamentos, são exclusivamente gerados a partir das pedaladas do público nas bicicletas. Energia limpa que não emite poluentes e não causa impactos negativos à natureza, contribuindo para a sustentabilidade do planeta. 

No BikeCine, a energia humana se transforma em energia elétrica, em cinética, gerada pela força motriz do movimento do pedal. Todo o sistema consome cerca de 2500 watts por hora, já cada ciclista gera 200 watts, em média.

Um convite para pensar no planeta e no bem-estar

Além da diversão, o BikeCine busca promover a consciência ambiental, pela utilização da energia sustentável participativa, o espectador é convidado a refletir sobre o uso e consumo energético, e as formas renováveis disponíveis.

Incentiva ainda, a colaboração coletiva e o uso da bicicleta como meio de transporte não só para ir ao evento, mas também em seu deslocamento no dia a dia. Uma reflexão sobre mobilidade urbanaalém da importância do exercício para uma vida saudável.

O BikeCine é uma experiência cultural colaborativa, ecológica, inclusiva e diferenciada. O projeto tem parceria de desenvolvimento com os já bem-sucedidos cinemas ao ar livre, o Cine Autorama e o CineSolar, conta também com parceria do projeto Cine Pedal, da produtora uruguaia Efecto Cine.

BikeCine é viabilizado em São Paulo por meio do ProAC, com apoio do Novo Anhangabaú, Coletivo de Mobilidade CicloCentro, Coletivo Cultural Bixiga, Bike é Legal e Bike System, correalização Efecto Cine, realização BikeCine e Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo e Governo do Estado de São Paulo.

Informações: @bikecine

Shares:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *